terça-feira, 21 de agosto de 2007

Quem gosta, justifica - Parte 1

Eu gosto de estórias, história, caminhos inconclusos, heróis humanos, coragem, simpatia, ideologias, sociologia, mitologia, fantasia, alegria, álcool, projeções, amor, coisas de coração e alma, simplicidade enrustida em sofisticação infundada, paladares.

Estórias: Sempre representativas, servem pra projetar e fantasiar sobre pessoas e sentimentos inexistentes ou insatisfatórios; ficção completa as faltas.

História: Como as coisas chegaram nisso, que caminhos talvez tenham traçado e quais acontecimentos que prestamos atenção; é gostoso pensar nas mínimas que fizeram diferença e ninguém notou.

Caminhos Inconclusos: Os únicos que existem. Quando imagens fixas e finitas de acontecimentos são retratadas, ninguém nunca é feliz ou infeliz pra sempre...Isso são fases passageiras que são
trocadas ou interrompidas, nunca finalizadas.

Heróis Humanos: Me dão ímpeto e coragem pra fazer coisas que jamais pensei ou nunca tive coragem. Pessoas que não existem também são ou já foram gente, de um lugar distante e fora de nós.

Coragem: Pra levantar, admiro quem tem, mas me incluo nos que sentem sua falta.

Simpatia: Ser gentil com qualquer pessoa é pra poucos. Talvez elas sejam mais felizes, mais amadas, eu não faço nem idéia, pois nem relo nesse quesito, mas tenho curiosidade.

Ideologias: Pessoais ou universais, conseguem juntar pensamentos e vontades esparsas e mover e unir indivíduos. De cunho político, libertário, revolucionário ou conservador, pertenço e tento pertencer a algumas.

Sociologia: Abrange o que é e como é ser humano sempre, atemporalmente. A matéria acadêmica que eu mais me interesso.

Mitologia: Metáforas máximas da consciência, que projetam limites, pensamentos e desejos sem pudores realísticos.

Fantasia: Não tem a menor relação com o que a gente vê ou escuta, mas sim com que a gente sente, mais no fundo e coberto por tudo aquilo que nos finge que preenche.

7 comentários:

Natalia Kuschnaroff disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mariana disse...

Xinga Spurilove!
Porque esse blog será xiliquento.

Se você aceitasse comentários anônimos, eu assinaria como Mãe Loira do Funk.

Mas terei que dá minha cara a bater.

Natalia Kuschnaroff disse...

Ok.

Vista-se de mulher e vá ao casamento comigo, por favor!

Escreve belamente e me despreza com cautela, ó!

Fernar - presente do indicativo

Eu ferno
Tu fernas
Ele ferna
Nós Fernamos
Vós Fernais
Eles fernam

Fernar - gerúndio

Eu estou fernando
Todos estamos fernando
E assim somos felizes.

Júlio disse...

Realmente, vc tem q apertar a parada pra poder comentar sem logar, Dolhês. Tive que usar o email da minha outra gestão do CA... não tenho tempo pra pensar em comentários inteligentes agora, portanto paro por aqui. Abraçoslhês

Júlio disse...

Ps: bom texto inicial, hein? Acho que nunca tinha lido nada seu de mais fôlego. Blog é fácil de criar, e difícil de manter. Como pra você criar não difícil, espero que, mesmo quando não for fácil mantê-lo, você não desista.

renato disse...

minha nossa senhora!

eh realmente um duas caras, um charlatão, um homem sem sombra.

Onde ja se viu ??

Fica por ai pilhando os amigos para a construção do Blog-coletivo-que-vai-sacudir-o-mundo e agora me vem com um blog todo nhenhenhê para fazer dele a sua imagem.

Que vergonha. Só não fico pior pq ainda não vi nada que remeta aos tempos de lucifernando e a ditadura soviética.
Mas temos que isso ocorra logo.

Enfim, aguardo maior posicionamento.

Sem mais[!]

Filipe disse...

ei, fernando!
Seu lesado!
Apesar do texto sem "zip" eu consegui ler até o final, o que é uma boa coisa! brincando!começou bem! keep going e quem sabe esse sítio terá lugar no "bookmark" abraços..